Outros estudos bíblicos avançados e disponíveis por Download
em Português (BR)

 

  As duas trindades - a Trindade divina e a trindade maligna   

354 kB

       
  Jesus - o Deus tangível e acolhedor   

17 kB

       
  Definindo Deus pelo que Ele NÃO é  

21 kB

       
  Questões respondidas  02

41 kB

       
  Jeová e Satanás 

23 kB

       
  Aroma agradável 

17 kB

       
  Questões respondidas  01

78 kB

       
  Sombra e Realidade - O conflito entre o Velho e o Novo Testamento

51 kB

       
  A lei de Jeová e o evangelho de Jesus

42 kB

       
Incoerências da lei do Velho Testamento

31 kB

Desmascarando Jeová

37 kB

  A discriminação

27 kB

       
  O gnosticismo cristão

22 kB

       
  A ira de Jeová (O deus iracundo)

24 kB

       
  A justiça de Deus e a justiça de Jeová

28 kB

       
  Predestinação e livre arbítrio - chamados e escolhidos

39 kB

       
  Planos frustrados de um deus frustrado

35 kB

       
  Filhos de Deus e filhos de Jeová

28 kB

       
  O verdadeiro Deus é amor

40 kB

       
  O sábado temporal e outros preceitos ritualísticos

29 kB

       


Comentários

 

Nestes estudos é considerada a importância do Velho Testamento em relação ao Novo Testamento. A conclusão é que o Velho Testamento ficou totalmente obscurecido diante da grandeza do Novo Testamento, como diz o texto..."Porque  o precedente mandamento ficou revogado por causa da sua fraqueza e inutilidade  (Hebreus 7:18).

A debilidade do Ministério da Lei de Jeová transmitida por Moisés ficou portanto evidenciada diante da fantástica eficácia do Evangelho de Jesus, como diz o texto... "Porque a Lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo" (João 1:17).

A utilidade atual do Velho Testamento resume-se ao fato de que muitos episódios no Velho Testamento representam realidades do Novo Testamento, através de figuras e parábolas em que os personagens e situações estavam relacionados com Jesus e a Igreja. Portanto o Velho Testamento tem hoje apenas um valor histórico e simbólico.

Porque a Lei de Jeová ficou obsoleta?
- Porque ela se mostrou incoerente e superficial, tratando apenas da condição exterior do homem, sem se preocupar com o verdadeiro problema interior. A Lei de Jeová faz discípulos religiosos e soberbos mas não leva ninguem a ser nova criatura.

- Merece crédito uma Lei que faz discriminação de pessoas e de raças e favorece uns em detrimento de outros?
- Que incita à violência e à guerra? (I Sm.23:1 e 2; Dt.20:10 a 17; Js.10:40; Ju.14:5 e 6; Ju.15:14 e 15; I Sm.11:6 e 7)
- Que lança maldições aos descendentes por causa de mau comportamento dos pais? (Ex.20:5; 32:9 e 10; Is.14:21)
- Que ordena a morte através de meios bárbaros tais como apedrejamento? (Ex.31:15; Lv.20:27; 24:13 a 23; Js.7:25)
- Que determina o extermínio de muitos por causa do pecado de alguns? (Nm.25:3 a 5; Nm.11:33)
- Que exige sacrifícios humanos e holocausto de animais? (Lv.4:13 e 14; 5:10 a 16; 6:1 a 7)
- Que coloca a mulher em condição de inferioridade em relação ao homem? (Lv.12:1 a 5)
- Que impede um homem de servir no Templo simplesmente porque tem um defeito físico? (Lv.21:16 a 21)
- Que hostiliza os bastardos por serem ilegítimos? (Dt.23:1 a 3)
- Que elege os judeus e pretere todas as demais nações?
- Que admite ira, vingança e revides? (Ex.21:23 a 25; Dt.19:21)
- Que pune povos através de pragas e castigos coletivos?
- Que reconhece o mero sinal físico da circuncisão como um selo de adoção de Deus? (Gn.17:10 a 14)
- Que intencionalmente prescreve ordenanças que levam muitos a condenação? (Ez.20:25)
- Que elege apenas um dia por semana para a santificação, como se nos demais não fosse importante a conduta do indivíduo?
- Que estabelece o terror fulminando os desobedientes por coisas banais, como por exemplo, tocarem em coisas sagradas? (II Sm.6:6 a 8)
- Que sanciona o assassinato de uma jovem simplesmente porque seu pai tinha feito um voto e não poderia voltar atrás? (Ju.11:30 a 39)

É razoável se imaginar que uma Lei tão absurda e segregativa pudesse ser de autoria de um Deus tão misericordioso, compreensivo e que não faz acepção de pessoas, o qual Jesus nos apresentou como o Pai amoroso?

Jeová e o Pai são a mesma pessoa? Se são, porque revelam personalidades tão diferentes? É admissível que um Deus que se diz absoluto, onipresente, onisciente e onipotente demonstre fraquezas tais como ira, ciúmes, arrependimento e prazer em punir?

Um Deus que só teve sua ira aplacada quando viu o sangue daqueles pobres enforcados de Números 25:4 pode ser identificado com o Pai ou mesmo com o Filho?

A violência e a intolerância presentes na Lei de Jeová no Velho Testamento não condizem com a misericórdia e o amor presentes no Evangelho de Jesus no Novo Testamento.

A prova de que a mensagem de Jesus era autêntica e personalizada é que em Mateus capítulo 5, Jesus se refere aos mandamentos do Velho Testamento dizendo:..."Ouvistes o que foi dito aos antigos". Quando falava de seus próprios ensinamentos dizia: "Eu, porém, vos digo", o que prova que não havia consenso entre os dois ministérios.

Jesus nos apresentou mandamentos e ensinamentos coerentes, que estão em perfeita harmonia com a vontade do Pai. Ele nos ensinou que não adianta querer servir a Deus apenas na aparência e com base na religiosidade exterior.


Estas e outras questões polêmicas e misteriosas são abordadas nos estudos disponíveis através de Download dos arquivos "pdf". No último dos tópicos estão relacionadas muitas das questões que normalmente são formuladas quando este tema é abordado, com as respectivas respostas devidamente respaldadas por argumentação bíblica. Para formular outras questões que não estão relacionadas alí, pode ser usado o email de contato na página inicial.




Links em português:
 

  Mel destilado - Estudos bíblicos sobre temas diversos, recursos bíblicos adicionais e pensamentos
  Midipraise - Músicas evangélicas sequenciadas em formato MIDI
  Verdades Bíblicas - Estudos bíblicos da ABIP - Jeová, falso deus

 

 

 

volta ao índice